VISLUMBRES


View My Stats

quarta-feira, 20 de março de 2013

DISCUSSÕES "INTERIORES"


(Soneto em decassílabo heróico)



Ser poeta - e cumprir-me… - é quanto quero!
Se o sou, ou se o não sou… o tempo o diga,
Que este meu Alter-ego engendra intriga
Mesmo sobre amanhãs que já nem espero

E, às vezes, indo além do que tolero,
Disfarçando, emulando mão amiga,
Evoca, qual refrão de uma cantiga,
Mil razões pr`a levar-me ao desespero,

Até que, num rebate de impaciência,
Me muna d`argumentos d´além Ciência,
E teime em ser quem sou, haja o que houver!

[…ainda que ele me acuse de inocência,
abra a porta da rua, com violência,
e saia sem mostrar quanto me quer…]

 


Maria João Brito de Sousa – 19.03.2013 – 17.39h

12 comentários:

São disse...

Não nos podemos deixar levar ao desespero, não!


Bom dia da Poesia, linda

Maria João Brito de Sousa disse...

:) Bom dia, São!

Desespero? Nunca! Podemos lá dar-nos a esse luxo!

Vou até aí...

heretico disse...

"Ser poeta e cumprir-me..." - excelente programa de vida.

um soneto admirável.

enorme talento

beijo

Maria João Brito de Sousa disse...

Resposta tardia por agravamento substancial da minha situação clínica, Heretico...

Grata pela apreciação, deixo o meu abraço!

AC disse...

Não pode sair o que faz parte de nós, a não ser para a partilha...
Muito bom, Maria João!

Maria João Brito de Sousa disse...

Obrigada, AC!

Abraço grande... vou tentar dar um pulinho até "aí"!

rosa-branca disse...

Querida amiga, mais um maravilhoso soneto que adorei. Boa Páscoa e beijos com carinho

Maria João Brito de Sousa disse...

Beijo e os meus votos de uma Páscoa feliz, Rosa Branca!

Maria Luisa Adães disse...

E durante o poema me lembrei de
Camões com aquela cadência de :

"Alma minha gentil, que te partiste

Tão cedo...

Roga a Deus...

Naquela triste e leda madrugada...

Ela viu as palavras magoadas

A dar descanso às almas condenadas."

Gentil e belo o que escreveste...

Maria luísa Adães

Maria João Brito de Sousa disse...

Camões também gostava muito do decassílabo heróico em "martelo agalopado", Maria Luísa... ainda me lembro de, numa tarde de Verão, na biblioteca lá de casa, ele e o meu avô estarem a analisar esse mesmo assunto. Era pequenita, mas recordo-me perfeitamente. É, para mim, a mais bela e musical das cadências poéticas.

Obrigada e um abraço grande.

Lídia Borges disse...

Poeta sim!

"Porque Deus quer"


Um beijo

Maria João Brito de Sousa disse...

Obrigada, Lídia :)

O meu abraço!