VISLUMBRES


View My Stats

quinta-feira, 2 de dezembro de 2010

NÃO NEGO ABRIL!



NÃO NEGO ABRIL!










Não negarei Abril, que Abril sou eu

E tudo o que em mim vive e se desdobra

Como se fosse vosso o que me sobra

E o que vos sobra, a todos, fosse meu!





Não negarei o espaço, nem o céu

Ou o que há de divino em cada obra

E hei-de pagar ao mundo o que ele me cobra

Porque o que cresce em mim, de Abril nasceu.





Não nego Abril, que Abril me seduziu,

Me estendeu o seu braço companheiro

Me deu asas, canções e voz liberta!





Prometeu muito mais, mas lá cumpriu!

[nunca um Abril sozinho é derradeiro

nem liberdade é coisa sempre certa... ]










Maria João Brito de Sousa – 27.11.2010 – 21.06h

11 comentários:

Vitor disse...

Acredito...a ver pelo sorriso feliz em criança...assim o Abril que nos deram tivesse essa esperança,em tal sorriso de tão encantadora criança!

Bj*

pekenasutopias disse...

Ele tinha, Vitor! Ele tinha tudo, como qualquer recém nascido tem... mas o crescimento é um processo difícil e longo, pontuado por acontecimentos mais e menos felizes.
Para mim será sempre Abril, até à desistência!
Enorme abraço!

pekenasutopias disse...

... falhou-me isto; desistência e morte.

Maria Luisa Adães disse...

Também não nego Abril!

Mas tens razão, "Abril será sempre até à desistência e morte"...

Quem te falou além de mim no Tempo?

Sabes não me tenho adaptado ao clima nem à alimentação.

Tenho estado doente. No avião vinha
ao meu lado uma senhora com uma gripe grande, não trazia máscara
(devia trazer) e me contagiou.
Já estive no hospital, mas não me sinto bem!Estou com a família mais directa e não usufruo desse previlégio, como se não tivesse esses direitos.

Nada tem com Deus, nem com destino, mas alguma coisa negativa
que o organismo captou e a alma deixou.

Tenho saudades tuas!

Beijos,

Maria Luísa

pekenasutopias disse...

Maria Luísa, a tua gripe vai passar... é bem provável que já tenha passado, neste momento... agora escrevo em mais páginas online e não tenho vindo ao Pekenasutopias.
Deixa que o teu organismo combata a virose. Ele tem meios para o fazer.
Aproveita a companhia dos teus nestes dias que precedem o Natal.
Um enorme abraço para ti, daqui, deste pequeno "jardim à beira mar plantado"

Vitor disse...

FELIZ NATAL...COM MUITA INSPIRAÇÃO NO SAPATINHO...FOI UM PRAZER LÊ-LA TODO O ANO QUE SE APRESTA PARA FINDAR.NA NOITE DOS REIS MAGOS,VOU-ME LEMBRAR DE UMA MAGA DA POESIA:MARIA JOÃO...QUE O SEU DEUS A ABENÇÕE!

BEIJINHO

akitoueu disse...

Encalhei aqui,e em boa hora o fiz.É por aqui que se aprende a gostar,de quem tem bom gosto.
E não negando que adorei o poema,por cá voltarei.

Boas Festas

pekenasutopias disse...

Muito obrigada, meus amigos Vitor e Akitoueu!
Peço desculpa, mas nem sequer tenho conseguido vir ao Pekenasutopias. Estou muito lenta para o conseguir actualizar e... o Natal está aí! :)
Um FELIZ NATAL para vós!

Nilson Barcelli disse...

[nunca um Abril sozinho é derradeiro
nem liberdade é coisa sempre certa... ]
Brilhante. Parabéns, gostei imenso do teu poema.
Desejo-te um Natal muito feliz.
Beijos.

pekenasutopias disse...

Obrigada, Nilson! Desculpa só agora te responder, mas o Pekenasutopias tem andado um bocadinho "deslocado" da minha rota, neste momento...
Aproveito para te desejar um 2011 cheio de criatividade! :)
Abraço grande!

Valquíria Oliveira Calado disse...

Olá amiga,não negue a liberdade conquistada, é mesmo direito nosso ser livre e feliz, e assim desejo ano de muita felicidade, bjinhos.