VISLUMBRES


View My Stats

segunda-feira, 16 de maio de 2011

MARIA




De tudo me privo

Mas nada me cala

Se, rindo, me esquivo

De alheia bengala



Perdida no tempo,

Nunca tive nada

Senão o que invento

Na areia molhada



Resumo ou produto

Do estanho dos dias,

Sozinha... mas luto

Como outras Marias!










Maria João Brito de Sousa

8 comentários:

Maria Luisa Adães disse...

E lutas sim e muito!

Abandonada não estás
Quando a porta se fecha
Deus abre uma janela...

Dizer do povo e eu acredito, nas vozes do povo.

"Maria" parece simples, mas é difícil...

Um abraço,

Mª. luísa

pekenasutopias disse...

Um abraço também para ti, amiga! Disse-te um "segredo" - não é nada! :)) - aos gritos, no Facebook!
É sobre o Prémio!
Abraço grande!

Cláudio disse...

De sentir muitas vezes me privo
E de dizer outro tanto
Mas se há coisa de que não me esquivo
É de visitar este seu delicioso canto

CARLOS MORANDI disse...

Olá Maria!
Venho retribuir sua visita e, sem nenhum favor, deixar aqui meus parabéns pela beleza dos seus versos.
Um grande abraço do Carlos Morandi.

Vitor disse...

E luta maria...dá-nos esa alegria!

BjS

pekenasutopias disse...

Obrigada, Cláudio!:)
Hoje vou tentar publicar neste meu cantinho das utopias... :)
Abraço grande!

pekenasutopias disse...

Muito obrigada, Carlos! É u7ma honra recebê-lo no Pequenas Utopias!
Abraço grande!

pekenasutopias disse...

Obrigada, Vítor!
Já deve ter reparado que a minha produção anda muito abaixo da média em relação aos anos anteriores... até as visitas diminuíram porque já não consigo mover-me com a mesma rapidez... vou esperando que seja apenas uma fase... :)
Abraço grande!