VISLUMBRES


View My Stats

terça-feira, 20 de julho de 2010

NESSES DIAS, TÃO MAIS LUMINOSOS...




Há dias em que a luz é tão brilhante,
Que as coisas tomam tons muito dif`rentes
E nada pode ser mais importante
Do que essas mutações quase aparentes…

Nesses dias, o brilho do diamante,
Fica a dever aos verdes inocentes
Daquele pinheiro bravo - esse gigante… -
Que pr`a mim ergue os braços rescendentes.

Há dias em que a luz tem mais calor
E esse estranho sabor de uma alegria
Que ainda recordamos… nesses dias.

Por vezes, cheiro a luz na própria cor
Pensando que essa luz me bastaria,
Que tudo o mais são meras fantasias…



Maria João Brito de Sousa – 19.07.2010 – 19.09h

3 comentários:

Vieira Calado disse...

"Transitamos através da luz

somos a pura contemplação da luz..."

O início do meu longo poema

"Viagem através da Luz", ed. Papiro.

Quanto ao seu poema, em súmula,

ele também nos diz isso.

O poema referido no seu comentário

"Poema a uma velha árvore"

esteve exposto num certame

em Vila do Conde: Poemas em árvores, o ano passado.

Saudações poéticas.

Beijoca

pekenasutopias disse...

Eu nunca li o seu livro, poeta Vieira Calado e nunca fui a esse certame,
mas sei que muitos de nós convergem naturalmente para particulares perspectivas da vida... e acho uma maravilha pendurar poemas em árvores!
Um abraço!

Daniel Hiver disse...

Há dias em que a luz tem mais calor sim... Há dias em que o humor é mais bem-humorado e a caminhada é tão consciente que esquecemos as dores nas pernas.