VISLUMBRES


View My Stats

terça-feira, 9 de novembro de 2010

O MOSQUITO NA MESA DO CAFÉ II - sonetilho



Inda se fosse um leão,
Uma cobra, um elefante...
Mas... um "monstro" esvoaçante
Com perna longa e ferrão?!

Assustada, exclamo: - Não!
E, em menos de um instante,
Salto da mesa, ofegante...
Palpita-me o coração,

Quase rebenta no peito!
Não sei bem se isto é defeito
Ou se, afinal, é feitio

Mas, quando vejo um mosquito,
Podem crer que eu salto, grito
E anda tudo em corrupio!


Maria João brito de Sousa

2 comentários:

Nilson Barcelli disse...

Li todos os sonetos da página inicial e fiquei encantado.
És uma Poetisa muito segura e a tua poesia é excelente.
Parabéns pela qualidade do que escreves.

pekenasutopias disse...

Muito obrigada, Nilson! :)
Vou espreitar o seu blog! Abraço!