VISLUMBRES


View My Stats

sexta-feira, 4 de janeiro de 2013

INICIAÇÃO À PINTURA

(Em decassílabo quase heróico)



“Pinte-se o céu da cor que te aprouver,
Faça-se luz no traço em movimento,
Cozinhe-se outro mundo, a fogo lento,
E engendre, o coração, quanto puder!

Reinvente, cada homem e mulher,
A génese adequada a cada intento
Roubando a tempestade ao próprio vento
E a centelha de cor que se acender!

Depois… é uma dança, um medir forças
Dos braços que nos correm como corças
Sobre a nudez da tela ou papelão…

E não se pára enquanto o fim não chega!”
Relembro enquanto a força se me nega
E a cor se me desfaz num turbilhão…


Maria João Brito de Sousa – 03.12.2012 – 14.46h


Soneto oferecido ao Rogério V Pereira


Imagem - "By the Sea", Paul Gauguin

13 comentários:

Maria João disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Maria João disse...

Gostava de saber pintar. Gostava de saber essa outra forma de dizer um poema.
Já experimentei, mas não insisti :-)

Tão prazeroso de ler este soneto, tão prazeroso é o tempo, o ritmo e a cor aqui!

Um beijinho, Maria João ;-)

Rogério Pereira disse...

PRIMEIRA TENTATIVA

Pegou com cautela
Nas tintas, nos pincéis e na tela
Tomou a cor mais quente
e pintou a inquietude
Tomou a cor mais neutra
e pintou a transparência
Tomou a cor mais escura
e pintou a procura
E depois com uma misturada
de onde se salientava o tom azulado
pintou caminhos por todo o lado
Finda a obra, olhou o efeito
Pendurou o quadro
E partiu satisfeito
A primeira tentativa não foi vã
Sentiu-se Gouguin

Maria João Brito de Sousa disse...

Olá, Maria João! É quase infantilmente agradável receber a visita de uma simpática homónima!

Amiga, eu não sou nada de dar conselhos, acredita... mas se sentes essa vontade, insiste um pouco mais... eu penso que essas necessidades - esses quase desejos... - só nos invadem quando temos capacidade para os pôr em prática... nem todos seremos gauguins ou picassos, mas a maioria de nós tem capacidades que desconhece até ao momento de serem postas em prática... mas também sei quão complicada pode ser a vida, quão facilmente podemos ser afastados dos nossos talentos...

Um abraço e muito obrigada por teres visitado este pedacinho de imensidão onde vou colocando os meus poemas!

Maria João Brito de Sousa disse...

:) Não vi o resultado dessa primeira tentativa, Rogério, mas já deu muitíssimo bons frutos em termos poéticos! E tens razão no que toca à escolha das cores! Eu teria feito a mesmíssima escolha! :)

Obrigada e um grande abraço!

© Piedade Araújo Sol disse...

um poema "pintado".
o rogério deve ter ficado babado (eu ficava).
um bom ano novo

beijo

Maria João Brito de Sousa disse...

Muito obrigada, Piedade! Foi o Rogério quem mo inspirou com um dos seus textos e dedicar-lho foi uma coisa muitíssimo natural que nunca poderia deixar de fazer :)

Beijinho!

Lídia Borges disse...


Sorte, a do Rogério!... :)

Um belíssimo presente de que posso absorver todas as tonalidades próprias de um bem-dizer/fazer.

Um beijo

Nilson Barcelli disse...

Este teu soneto é soberbo.
Na forma e no conteúdo.
Talvez seja o que de melhor fizeste em poesia até hoje. Porque o acho ao nível dos melhores autores.
Maria João, minha querida amiga, tem um bom fim de semana.
Beijo.

Sonhadora (RosaMaria) disse...

Minha querida

Desculpe adentrar assim no seu espaço, passei no Rogério e decidi passar aqui e gostei deste poema pintado com as cores da inspiração.
E...O Rogério merece esse lindo poema.
Um beijinho com carinho
Sonhadora

Maria João Brito de Sousa disse...

Foi o Rogério quem mo inspirou, Lídia... formulou o desejo e eu, de repente, dei comigo a responder-lhe assim mentalmente... nasceu tão rapidamente que até a mim me surpreendeu, eheheh... mas ainda lhe fiz umas duas ou três pequeninas modificações antes de o considerar acabado.

Beijo!

Maria João Brito de Sousa disse...

Muito obrigada, Nilson! :)

Um grande abraço!

Maria João Brito de Sousa disse...

Obrigada por ter passado e gostado, Rosa Sonhadora!
Um beijo!